Toda cerveja com fruta é fruit beer?

A resposta para essa pergunta é, por apenas uma exceção, não. A Fruit Lambic é um estilo de cerveja que leva fruta em sua receita original, mas não é fruit beer.

As fruit beers são cervejas criadas a partir de um estilo base com adição de frutas inteiras ou suco. Por exemplo, a cerveja Guava, nova colaborativa entre a Hocus Pocus e Dogma, é uma IPA com adição de goiaba, ou seja, uma fruit beer.

Isto é, enquanto uma Fruit Lambic só pode ser uma Fruit Lambic, uma fruit beer pode ser uma Witbier, Stout, Red Ale ou praticamente qualquer outro estilo de cerveja com adição de frutas.

A mais nova fruit beer da área! Imagem: Dogma.

Mais que uma cerveja com frutinha

Lembro-me bem da primeira vez que tomei uma fruit beer e de como eu estava ansiosa para ter essa experiência. Foi lá em 2014, num famoso bar aqui do Rio. A escolhida foi a belga Floris Framboise.

Ela ficou linda servida no seu copo próprio e exalava um aroma bem forte que lembrava bala de framboesa (não era bem um cheirinho de framboesas frescas, sabe). O sabor era uma confirmação ainda mais intensa do aroma, o que dificultava bastante identificar outras notas no paladar.

Na verdade, era difícil até lembrar que o que eu estava bebendo ali era uma cerveja, de tão distante que aquilo estava da minha ideia dessa bebida na época. Parecia mais um suco de framboesa azedinho e gaseificado.

Era gostosa, mas para uma cerveja, acabei me decepcionando um pouco. Cerveja levinha demais, com sabor meio artificial, nada equilibrada e complexa. Essa ideia errada de fruit beer ficou na minha cabeça e me perseguiu por um tempo.

Acontece que a Floris é bem a imagem que as pessoas costumam ter na cabeça quando o assunto é fruit beer e essa é uma ideia bem equivocada. Fruit Beers podem ser amargas, complexas, alcoólicas e muito mais sim.

Inclusive, uma das cervejas que mais me marcou até hoje é uma fruit beer: a Monjolo Floresta Negra, da cervejaria Tupiniquim, uma Imperial Porter com adição de cacau, baunilha e framboesa com teor alcoólico de 10%. Não é fraquinha não, viu.

São inúmeras as possibilidades de se misturar estilos de cervejas com frutas e isso é um prato cheio para um mercado que tem cada vez mais apostado em inovação como o nosso.

Fruit beer pode ser de qualquer fruta?

A escolha da fruta deve dialogar com a escolha do estilo base. As características da fruta devem complementar o estilo escolhido, para se criar uma complexidade de sabores, aromas e sensações.

Como, em geral, o equilíbrio entre o dulçor e o amargor de uma cerveja se dá através da relação malte x lúpulo, as frutas costumam entrar para adicionar acidez à receita.

As frutas ou suco podem ser inseridos em diferentes etapas da fabricação da cerveja, como durante a fervura, fermentação ou maturação. Essa escolha fica a cargo do mestre cervejeiro e de onde ele quer chegar com sua criação.

No mercado brasileiro temos cervejas com framboesa, maracujá, melão, coco e até com frutas mais exóticas como taperebá, umbu e açaí. A criatividade é o limite!

Já provou alguma fruit beer que mexeu com você? Conta pra gente aí embaixo nos comentários. Ainda não se deixou apaixonar por nenhuma dessas criações? Então clique aqui e veja algumas opções que vão, no mínimo, despertar a sua curiosidade.

P.S.: ficou aguando aí na novidade da Hocus Pocus com a Dogma? Então corra para garantir a sua, pois temos poucas unidades dessa delícia! Clique aqui.

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *