Churrasco e cerveja: Como Acertar na Conta e Harmonizar?

Vamos falar de coisa boa: churrasco e cerveja!

Quando pensamos nas paixões do brasileiro, a lista a é recheada de duplas dinâmicas. Sol e praia, samba e carnaval, além é claro de churrasco e cerveja, seriam provavelmente as primeiras coisas que viriam à cabeça dos gringos ao pensar sobre o Brasil.

Dessas paixões, a dobradinha churrasco e cerveja é certamente uma das que mais me agrada.

Por conta disso, é sobre ela que irei me aprofundar. Vem comigo?

Tem como não amar essa dupla?

Até pouco tempo atrás, o brasileiro se conformava com qualquer “carne de segunda”. Havia inclusive técnicas pouco ortodoxas para tentar amaciar a carne. Na minha família, por exemplo, deixávamos a carne de molho no abacaxi!

Em relação à cerveja nem se fala. Pegava-se alguma dentre as opções mais baratas e “tamo conversado”.

O grande problema é que essa cerveja mais barata, provavelmente do estilo “tipo Pilsen” (American Standard Lager), não tem nada a ver com o churrasco.

Isso porque trata-se de um produto insípido, aguado e sem qualquer condição de competir no paladar com carnes gordurosas, linguiças, drumetes de frango bem temperadas e aquela maionese gostosa que a tia sempre faz. (Vish, deu até uma fome aqui!)

Obviamente que se o churrasco e a cerveja forem um mero pretexto para jogar conversa fora com os amigos, pouco importa se a carne é ruim, se a cerveja é ruim ou se, pior ainda, o sabor complexo de uma acaba deixando a outra com gosto de água suja.

No entanto, adianto àqueles que fazem essa opção: estão desperdiçando a oportunidade de ouro. Nada impede que além de termos um momento legal com os amigos, também tenhamos uma experiência gastronômica memorável. Uma coisa não precisa excluir a outra!

Então, que tal harmonizar a presença de pessoas que gostamos com essa experiência gastronômica para elevar o momento à última potência?

Optei por trazer a você dois tipos diferentes de harmonização. Uma que faz todo o sentido do mundo no campo teórico e outra que é mais adequada na prática. (Principalmente de quem vive em nosso Brasilzão 40).

Churrasco e cerveja: a teoria

Analisando friamente a parte teórica do estudo de harmonização, concluímos que os estilos ideais para fazer combinar churrasco e cerveja são Belgian-Style Dubbel (coloração marrom, médio teor alcoólico e sabor de frutas escuras), ou então uma Robust Porter (coloração marrom escura, notas de torrado e tostado e médio teor alcoólico), ou ainda uma American Brown Ale (cor marrom, com notas de caramelo e chocolate).

Essa conclusão está certíssima no campo teórico. Afinal, carnes escuras tendem a harmonizar com cervejas mais escuras.

No entanto, convenhamos… Quem em sã consciência imagina um churrascão rolando a tarde inteira (quase sempre invadindo a noite também) acompanhado de uma cerveja quase preta, com notas de figos, uva passa etc.? Ou então uma cerveja com gosto de café, ou chocolate?

Vejo apenas três formas de colocar a harmonização acima em prática: churrascos em dias frios, churrascos noturnos (hábito comum dos que vivem no sul do país), ou então se a proposta principal do evento for realmente fazer a melhor harmonização possível.

Agora, se for como estamos acostumados: dia ensolarado, na beira da piscina, com alguns amigos que sequer estão habituados a beber cerveja artesanal, então a escolha da cerveja tem que ser outra.

Isso, porque harmonização é uma forma de arte que leva em consideração técnica, é claro, mas também as experiências e vivências pretéritas daquele que aprecia.

Precisamos levar em consideração as características das cervejas que fomos (mal) acostumados a beber acompanhando churrasco. Elas são leves, refrescantes e com alta drinkability e isso não pode ser ignorado.

Assim, escolhi elaborar uma harmonização adaptada. Essa escolha emprega as técnicas de combinação de churrasco e cerveja, mas também considera a realidade.

Churrasco e cerveja: a prática!

Harmonização de três jeitos

Mas afinal, que técnicas são essas?

De modo geral, há três técnicas/tipos ideais de harmonização: a) por corte; b) por contraste; c) por semelhança.

Dificilmente encontraremos uma harmonização que faça uso isolado de apenas um desses tipos ideais. É nesse momento que entra o artista em cena!

Dada a moldura, os pincéis e a tinta, o responsável pela harmonização é livre para colocar sua criatividade em prática.

Seguem abaixo três opções de estilos de cerveja que têm absolutamente tudo a ver com um churrasco com amigos em um dia de calor.

Ah! E em vez de listar um estilo por “tipo de carne”, preferi eleger estilos mais coringas. É que na prática a gente não come uma coisa de cada vez, mas sim tudo junto naquele pratinho descartável salvador.

Além do que, convenhamos, ninguém merece ficar procurando no gelo “a cerveja certa” pra harmonizar. Certo? Vamos então.

TOP 1: American Pale Ale (APA)

American Pale Ale é um estilo que traz um bom equilíbrio entre malte e lúpulo. O dulçor do malte complementa o sabor suavemente adocicado dos drumetes, carne e das linguiças assadas na brasa.

Já o amargor e a carbonatação alta (características marcantes deste estilo) são suficientes para respectivamente cortar a gordura e limpar o paladar para a próxima “beliscada”.

Um rótulo que traz bem todas essas características é a Trip, da cervejaria Labirinto (uma das melhores APAs do Brasil). Com 6,2% de teor alcoólico, traz o dulçor, amargor e carbonatação necessários para essa harmonização.

Além disso, a característica “leve e refrescante” está presente praticamente em todas as opções de American Pale Ale disponíveis. Por tudo isso, fica com a primeira colocação.

TOP 2: Session IPA

Session IPA, por sua vez, é um estilo que traz menos notas de malte, focando mais no aroma de lúpulo e amargor da cerveja.

A Session IPA ficou em segundo lugar pois, por não ter um perfil maltado, não consegue complementar os sabores adocicados oriundos da brasa.

No entanto, se lhe falta dulçor, no quesito leveza e refrescância ela é imbatível. Com seu baixo teor alcoólico (alguns exemplares abaixo da casa de 4%), permite o consumo de volumes maiores. Assim, não estufa a pessoa que está bebendo, deixando assim espaço para a carne.

11 a cada 10 opções de Session IPAs que você encontrar irão trazer a informação “leve e refrescante” impressa no rótulo. Pode confiar, olhei todos. 11 de 10!

Além disso, possui amargor bem presente (normalmente até superior ao da American Pale Ale) e carbonatação bem elevada, o que ajudam na harmonização por corte.

Uma boa opção de Session IPA para acompanhar o churrasco é a carioca Nude.

TOP 3: American Amber Ale

Pra quem não curte ainda cervejas mais amargas, a American Amber Ale é a solução. Um bom exemplar de Amber Ale vai trazer bastante caramelo proveniente do malte, porém com um final seco, chamando o próximo gole.

Quando o quesito é refrescância, é bem verdade que a Amber Ale não chega perto nem da APA e nem da Session IPA.

No entanto, tem algumas interpretações bem lupuladas, característica que ajuda bastante nesse quesito.

Em relação à harmonização, o caramelo do malte se funde com o dulçor das carnes provocado pelo cozimento na brasa. Já o amargor, que apesar de menor que nos estilos comentados acima, também está presente, ajuda a cortar a gordura.

A Hush, da cervejaria Hocus Pocus, é uma American Amber Ale pouco amarga e vai muito bem tudo que um bom churrasco sempre tem. Inclusive com a banana assada com sorvete de creme do final.

Para mim essas são as melhores cervejas para churrasco que você vai encontrar!

Sobre as melhores carnes, como não sou especialista, vou sugerir o blog Guia do Churrasco, que possui um post interessante sobre o assunto.

Agora que já sabe a qualidade do que comprar, precisamos entender a quantidade!

Cálculo para churrasco e cerveja:

A primeira coisa que temos que ter em mente sobre qualquer cálculo para churrasco é que grupos diferentes de pessoa tem hábitos de consumo diferente.

Por exemplo, entre meus amigos a gente gosta de comer muita carne e drumete, mas nem tanto de linguiça, pão de alho e guarnições; muita cerveja de qualidade e basicamente nada de destilados.

Então, vou explicitar aqui, a título de exemplo, como eu faço a conta para saber a quantidade de churrasco para 25 pessoas e também a quantidade de cerveja para churrasco, que vai durar em torno de 6h.

  • Carne bovina: 7,5kg (em geral, escolho a picanha maturada e o coração da alcatra).
  • Carne de frango: 2,5kg (coxinha da asa, também conhecida como drumet).
  • Pão de alho: 10 pães franceses (dá e sobra!).
  • Linguiça:  1kg (costumamos fazer linguiça só para iniciar os trabalhos. Se você gosta bastante de linguiça, acrescente mais 1kg – mas tire proporcionalmente da carne bovina, ou de frango, para evitar desperdício).
  • Cerveja: aqui nós levamos uma média de 2L por pessoa que bebe. Pode parecer muito para alguns, ou pouco para outros, mas ao menos é a forma que fazemos por aqui e funciona muito bem para nós.

Pronto. Com esse monte de informação na mente, você já está apto para no próximo fim de semana promover aquele churrascão e aproveitá-lo de forma completa.

Qual das sugestões acima você gostou mais e pretende colocar em prática na próxima oportunidade que tiver? É só responder aí nos comentários, que a gente segue essa conversa!

2 Comentários


  1. Adorei as sugestões! Vou seguir a dica número 1. A Trip é realmente maravilhosa!!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *