Tendências e Oportunidades Cervejeiras para 2019

Além de New England IPAs e Pastry Stouts (que para mim não são tendências e sim realidades já consolidadas), o que podemos esperar de 2019 para o mercado cervejeiro?

Momento Rique Dináh para trazer as previsões do mercado para você.

1 – O fim das Milkshake IPAs (ou quase isso)

As NE IPAs com lactose e frutas fizeram muito sucesso em 2017, com lançamentos de diversas cervejarias.

Foi o caso da Milky Way IPA da Three Monkeys, High on Milk da Hocus Pocus, Space Cake da 3Carioca e por aí vai.

Só faltou a Ambev trazer pro mercado a Skol Milk (certamente algum “criativo” da marca sugeriu).

Já 2018 foi um ano bem mais morno nesse sentido e poucas cervejarias seguiram colocando lactose nas IPAs.

E agora, em 2019, mesmo com O MOTIM confirmando lançamento de um rótulo do estilo, acredito que será o ano em que a IPA com Lactose vai tomar o mesmo caminho da IPA com Goiaba, da Brown Ale e da American Amber Ale.

2 – A ressureição das Lagers mais leves

Para alguém que reside na República Tcheca, deve ser no mínimo curioso ler que lager vai ser tendência em 2019.

Jsi blázen?diria um tcheco – lager é tendência desde o século XIX!

Pode até ser assim na República Tcheca e no mercado mainstream, mas para o mercado de craft beer nacional, lager vem sendo tratado com um certo desdém há um bom tempo.

Mas eu aposto que isso vai mudar em 2019, pelo menos no que diz respeito a lagers leves e bem executadas.

O mercado está amadurecendo e o paladar do público está evoluindo ao ponto de conseguir apreciar uma sutil e delicada lager.

Brincadeira à parte, realmente acredito que seja um sinal de evolução do paladar apreciar boas lagers.

Já para as lagers complexas, acho que o mercado seguirá do jeito que está hoje: quase que ignorando-as por completo, com algumas cervejarias tentando inovar, mas sem bon$ resultado$.

Se quiser saber mais sobre lagers, escrevemos um artigo completinho sobre o assunto.

Se quiser comprar as melhores lagers cariocas, é só chegar mais.

3 – Maple nosso de cada dia…

Uma febre iniciada ainda em 2018, mas que eu acredito que ainda tem muito caminho a percorrer, é a da utilização de Maple em cervejas complexas.

Algumas das cervejas que mais se destacaram no ano passado se valeram do ingrediente, sempre em forma de syrup (nome chique para definir xarope de maple).

Foi o caso da série 5 Elementos Pancake Brunch, da Bold Brewing Coffee Maple Noda, da Quatro Graus Black Anthrax Maple

No entanto, vale lembrar que além da utilização do maple syrup (xarope de maple), existe ainda a possibilidade de utilização de barril de madeira (carvalho, por exemplo), que foi utilizado previamente para envelhecer maple.

Essa técnica – inclusive – foi a utilizada para produção de uma das mais adoradas Imperial Stouts do mundo, a Founders CBS.

Fora isso, ninguém ainda utilizou maple em outros estilos, o que também pode ser visto como uma oportunidade a ser explorada.

4 – Teremos mais cervejas envelhecidas de alto nível

Essa é uma tendência que impactará o mercado tanto de forma quantitativa como de forma qualitativa.

Ou seja, teremos mais cervejas envelhecidas em madeira e teremos melhores cervejas envelhecidas em madeira.

Digo melhores, porque nos últimos anos até vimos algumas cervejas maturadas em barril sendo produzidas no Brasil, mas nem sempre com a qualidade esperada.

É que alguns dos nossos cervejeiros iniciaram a utilização de madeira em um processo meio que tentativa-e-erro.

No entanto, chegamos a 2019 com os processos já melhor compreendidos e refinados.

Por isso, pode esperar por muita Barrel Aged nacional alto nível para esse ano.

5 – Novas variações de IPAs

2018 foi muito marcado por variações de IPAs que eram pouco exploradas até então pelos cervejeiros do mundo todo.

Brett IPA e Brut IPA são dois bons exemplos do que estou falando e eu acredito que essa busca por novas variações vai permanecer.

Se eu tivesse uma cervejaria, apostaria em IPAs com aromas e sabores similares às de uma New England IPA, porém mais secas, com uma aparência menos turva e com o preço um pouco mais em conta.

Ah, e com envase em lata!

Será que é possível?

6 – Rótulos minimalistas BEM feitos devem ganhar destaque

Uma tendência que se afirmou e reafirmou nos últimos anos foi a de rótulos com cada vez mais informação visual.

Isso vai mudar em 2019.

O que pouca gente percebe é que o maior valor dessas artes repletas de elementos estava no ineditismo desse novo “jeito de fazer rótulo”.

Estava mais na inovação por trás do rótulo do que no conteúdo do rótulo em si.

Essa inovação servia de destaque para a cervejaria quando colocada em uma prateleira recheada de rótulos básicos.

Acontece que agora a prateleira está recheada de rótulo cheio de informação visual e é por isso que acredito que uma boa forma de se diferenciar será com o raciocínio invertido.

Pode soar clichê, mas menos realmente pode ser mais.

Agora, engana-se quem pensa que design minimalista é sinônimo de que dá pra “fazer de qualquer jeito”, ou que não é necessário um designer profissional para isso.

Muito pelo contrário.

Passar muito conceito com poucos elementos é um enorme desafio.

As logomarcas de empresas inovadoras como Apple, Airbnb e Uber, além da trademark I <3 NEW YORK, mostram a força que um design minimalista pode ter.

Um traço bem definido e cores bem selecionadas vão fazer a diferença.

Portanto, não pense duas vezes antes de aceitar gastar uma grana com o desenvolvimento do rótulo, mas pense duas vezes no briefing que você vai mandar para o designer.

Será que o briefing que você está mandando corresponde à mensagem que a sua marca quer passar, ou será que você só está tentando copiar uma marca que “já deu certo”?

7 – O estilo mais querido seguirá sendo a Novidade

Podemos ficar horas discutindo se essa ânsia por novidade faz bem ou não para o mercado.

Eu, Rique, particularmente, vejo com certa naturalidade essa preferência por novidades.

Não cabe a mim julgar se isso é bom ou ruim. Cabe a mim (ao menos nesse texto) julgar se é ou não é tendência.

E para mim, é.

A efemeridade é uma característica do momento da sociedade em que estamos vivendo.

Não é por outro motivo que os stories do Instagram, que trazem novidades o tempo todo e tem curto tempo de duração, estão desbancando os feeds (geralmente mais bem produzidos, porém mais rígidos) tanto do próprio Instagram como do Facebook.

Cabe a nós, empreendedores do tempo atual, aprendermos a lidar com isso, em vez de só ficarmos reclamando e dizendo que não deveria ser assim.

Não tem jeito.

É assim.

Não somos nós que devemos dizer como os consumidores devem se comportar para que o mercado funcione do jeito que a gente acha que é o certo.

É o comportamento dos consumidores que nos dá os sinais de para onde devemos seguir.

Para mim o sinal está muito claro.

Isso não significa que você precisa lançar toda semana, ou então deixar de lado os rótulos de linha.

Voltando à analogia do Instagram, você precisa ter sim um feed com identidade forte e bem produzido, mas também precisa estar produzindo conteúdo novo com frequência.

Refine os produtos de linha, use o feedback dos clientes para melhorar as novidades.

8- Tendência bônus: Conteúdo

Acho que conforme o interesse do público pela cerveja aumenta, aumenta também a demanda por conhecimento acerca do assunto.

No entanto, nem todo mundo quer se profissionalizar para trabalhar com cerveja.

Algumas pessoas querem apenas expandir seu conhecimento sobre o assunto.

É por isso que eu acredito que irão se destacar os cursos com preços mais competitivos.

Afinal, não é todo mundo que tem disposição para pagar milhares de reais em um curso de Sommelier, ou de Mestre em Estilos (a título de exemplo).

Quem conseguir entregar conteúdo de qualidade (sem enrolação) com preço mais acessível vai se destacar.

Nós do Cerveja Mestra/Bro’s Beer já estamos mexendo nossos pauzinhos nesse sentido.

Pra finalizar…

Salve esse post na sua barra de favoritos. Dia 31 de dezembro você tem a oportunidade de vir aqui tirar onda com a minha cara para as previsões que não se confirmaram.

No entanto, pra me zoar você vai ter que dizer hoje nos comentários por que discorda de mim.

Ficar quieto agora e querer zoar depois, já sabendo o que se confirmou e o que não se confirmou é fácil.

Comenta aí, que eu respondo um a um cada comentário e assim a gente tem uma conversa bacana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *